domingo, outubro 08, 2006

BUSH: O TERRORISTA DO ANTITERRORISMO

Na continuação do que já algum tempo venho escrevendo acerca das ideologias, controlo social e terrorismo, apresento aqui a noção de democracia do Sr. Todo Poderoso do mundo Ocidental, a quem a maioria se baixa deixando a descoberto o rabo!
É que mais faz lembrar uma ditadura, ou um qualquer episódio do Star Wars em que o Palpatine com o pretexto de salvar a república (do mal que ele próprio semeava qual senhor das trevas) consegue que o Conselho lhe dê o poder máximo para que use as tropas da aliança na tentativa de salvar a democracia do lado negro da força (que é ele!)... Se não, vejamos:
A Lei antiterrorista de Bush:
«1. O Presidente pode declarar qualquer indivíduo "combatente inimigo e criminoso" e ordenar detenções por tempo indeterminado;
2. Retira aos "combatentes inimigos" o direito ao "habeas corpus", que protege as pessoas de detenções arbitárias, desaparecimento e cárcere por tempo indeterminado sem acusação;
3. Permite a tortura contra "combatentes inimigos e criminosos";
4. Confere imunidade retroactiva a quem tenha autorizado a tortura;
5. Cria comissões militares que podem julgar "combatentes inimigos e criminosos", utilizando provas obtidas através da tortura e que o acusado não poderá examinar» in Expresso 7/10/06
Parece que voltámos ao tempo em que se queimavam as bruxas, das torturas da Inquisição e todas essas atrocidades que eram permitidas por ignorância e medo do desconhecido. Apetece ironizar: que linda democracia a que se vive nos States!

2 comentários:

Vítor Palmilha disse...

Realmente...

Comparado com isso só consigo vislumbrar autarcas demitidos... ainda se fossem todos os que deviam...

Tania Mealha disse...

Estás a comparar coisas não comparáveis.

Imagina o que era o Sócrates fazer o mesmo! Prenderem-te e torturarem-te só porque não concordavam contigo e tu não teres maneira de te defenderes.

O que o Bush fez foi arranjar maneira de legitimar a perseguição aos indivíduos de que não gosta, que o incomodam.

É muito diferente de despedir pessoas, ou de essas mesmas sairem dos cargos que ocupam por não estarem a desenvolver o seu trabalho em condições. Mas se queres experimentar a ver como é, podes sempre candidatar-te a uma Câmara e passados uns tempos vais para os States!